ATR

Confira o ATR de Abril 2018.

Saiba Mais..

Açúcar

Saiba sobre a cotação semanal do Açúcar. Atualizado em 31/07/2018

Saiba Mais..

Etanol

Cotação semanal do Álcool Anidro Combustível e Hidratado. Atualizado em 27/07/2018.

Saiba Mais..

SECA REDUZ SAFRA DA MAIOR UNIDADE PROCESSADORA DE CANA DO MUNDO

A maior unidade processadora de cana do mundo, do grupo São Martinho, que pode moer 10 milhões de toneladas por ano, registrou uma queda no uso de capacidade nesta temporada diante da seca excessiva que afetou a produção da matéria-prima do açúcar e etanol no Estado de São Paulo, disse um executivo nesta quinta-feira.

É o segundo ano consecutivo que a usina localizada no município de Pradópolis, região de Ribeirão Preto, no principal polo produtor de açúcar do Brasil, sofre uma queda na moagem de cana, principalmente pela umidade mais baixa no solo causada pela redução de chuvas.

"Tem sido assim nos últimos quatro anos, mais ou menos", disse Mário Ortiz Gandini, diretor de Agricultura e Tecnologia da São Martinho SA, um dos maiores grupos de açúcar e etanol do Brasil e proprietário da grande usina.

APÓS MECANIZAÇÃO, INDÚSTRIA DE COLHEDORA DE CANA SE AJUSTA AO MERCADO

O fim das queimadas da cana-de-açúcar na região centro-sul do país deu um impulso às indústrias de colhedoras de cana no país. As vendas, que chegaram a 1.500 unidades por ano, recuaram, porém, para 721 unidades em 2017.

Atualmente, 97% das lavouras de cana já são mecanizadas na região centro-sul, o que faz com que as indústrias reestruturem a produção com base nas novas necessidades de mercado.

Na avaliação de Roberto Biasotto, gerente de marketing de produto da Case IH, um dos focos do mercado agora será o de reposição de máquinas. A operação contínua durante a safra traz um desgaste grande para esses equipamentos.

As apostas se voltam também para as regiões do Norte do Nordeste, onde a mecanização ainda está em 25%. Devido à topografia e à área restrita dos canaviais nessas regiões, a demanda será pequena, em reação ao que foi no centro-sul.

Biasotto afirma que a adoção de novas tecnologias vai gerar demanda. As máquinas ganham eficiência a cada ano e suprem cada vez mais a necessidade das usinas no uso contínuo dos equipamentos.

Parcerias

Pernambuco Equipamentos de Proteção Individual Ltda